Black Hat SEO: o que é e como evitar?

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Já ouviu falar em Black Hat SEO? Se você ainda é iniciante nesse conjunto de estratégias, é importante conhecer a fundo o que pode e o que não se pode fazer na hora de criar e otimizar conteúdos para os motores de busca. Saiba mais sobre esse método que pode derrubar seu domínio. 

Se você está aqui, com certeza já sabe que o SEO (Search Engine Optimization). No entanto, muitas dessas táticas custam tempo para que finalmente o domínio consiga uma posição visível, sendo necessária muita paciência e persistência para alcançar o topo da SERP. 

Porém, existem práticas negativas para conseguir um bom posicionamento imediato – o Black Hat SEO. Esse é um tema polêmico entre os criadores de conteúdo, mas que merece ser discutido e evitado. Não é nenhum crime, mas o domínio e o conteúdo são passíveis de penalidades pelos buscadores. 

Black Hat SEO é um conjunto de táticas que burlam as leis e diretrizes dos motores de busca para adquirir uma boa posição na página de resultados de busca. Em contrapartida, elas colocam todo um site em risco. Esse método vem da ideia de que o Marketing de conteúdo é um ambiente competitivo no qual o conteúdo com mais engajamento é considerado o melhor de todos. Mas assim como em qualquer competição, existem regras que devem ser respeitadas.

Se você quer aprender mais sobre esse tema e não quer enganar os buscadores, confira esse conteúdo que a Opti preparou. Vamos te contar o que é Black Hat SEO, os perigos e dicas para não errar mais. Veja mais abaixo. 

black hat seo
Black Hat SEO: entenda porque essa prática é polêmica e principalmente proibida entre os criadores de conteúdo. – Foto: Freepik

O que é Black Hat SEO e por que essa tática é tão perigosa?

Black hat, “chapéu preto” (em tradução literal), é um termo ligado a Phracker, expressão usada para nomear hackers que burlam sistemas móveis e de telefonia, cuja origem do termo vem dos filmes do faroeste da década de 1950. Para entender os conceitos, basta lembrar que os mocinhos usam chapéus brancos e os criminosos vestem chapéus pretos.

Portanto, Black Hat SEO são técnicas enganosas – assim como as utilizadas pelos bandidos nestes filmes – para que um site ganhe mais visibilidade e destaque. 

Normalmente, são métodos que não seguem os termos de uso de um determinado buscador e que manipulam a posição de um domínio nos resultados de busca. Tudo é feito de maneira não tão orgânica – e nada legal. 

Black Hat SEO é uma estratégia que engana os algoritmos

Quando você cadastra seu domínio e indexa seu conteúdo nos buscadores, eles dão uma nota ou classificação para o material. Porém, leva um tempo para os robôs (ou seja, os algoritmos) avaliarem todo o site ou página. Só para você ter uma ideia, o Google conta com pelo menos 200 robôs para apenas uma análise. 

Durante essa etapa de avaliação, diversos fatores são considerados para determinar a posição do conteúdo. Qualidade do material, links e a veracidade são só alguns critérios que podem aumentar ou diminuir a nota e que vão impactar na posição do conteúdo na SERP. 

A técnica de Black Hat SEO é um meio de manipular a qualidade do conteúdo da página para atender aos critérios de forma fraudulenta, aumentando a relevância da página para adquirir apenas visibilidade. Porém, é uma importância que não existe. Mesmo assim, é possível alcançar a primeira posição – mas não a longo prazo.

Black Hat SEO pode derrubar o seu domínio nos buscadores

Black Hat SEO é uma prática proibida pelos buscadores, em que a menor punição é uma correção do posicionamento, de acordo com o que ele realmente oferece, colocando outras páginas na frente – o que já é bem prejudicial, pois impacta nas visitas orgânicas e afeta o engajamento. No pior dos casos, o domínio pode cair e até ser completamente ignorado pelos motores de busca, deixando de existir na SERP.  

Não tem hora certa para ser pego: os algoritmos podem perceber a fraude no mesmo instante, em um mês ou até mesmo um ano após a publicação. Só que quando percebe, a conta vem e não é bom arriscar ranquear no Google dessa forma. E acredite, ganhar confiança de novo pode ser bem complicado. 

As mudanças no algoritmo do Google são contínuas e eles estão em constante aprendizado, ficando cada vez mais inteligentes. Tudo para posicionar em primeiro lugar conteúdos que realmente valem a pena e são relevantes aos usuários. 

Apesar de existirem inúmeros domínios disputando com a sua página, o único benefício de praticar Black Hat SEO é conseguir um bom alcance a curto prazo. Contudo, esse engajamento não dura para sempre e as penas são duras. Afinal, o crime compensa?

SPAM é uma das formas clássica de ser penalizado 

Muitas das práticas de Black Hat SEO foram feitas por anos até que os motores de busca perceberam que isso não era nada saudável e resolveram regulamentar e penalizar quem faz isso. Desse modo, o usuário tem acesso a conteúdos que realmente são importantes e relevantes para ele. 

Há 2 formas clássicas de manipular os algoritmos:

Glossário de marketing digital
  1. SPAM: divulgar o link do seu conteúdo em outras páginas não é um problema. Mas isso não deve ser feito em massa e principalmente utilizando ferramentas que fazem esse disparo. Geralmente, esses programas trabalham com scripts prontos e fazem a divulgação massiva em outros sites, blogs, vídeos e até fóruns. Além de ser inconveniente, não chama a atenção do usuário e é uma prática ultrapassada, pois diversas páginas já trabalham com o bloqueio contra esse disparo. 
  2. Esquema de links: links patrocinados também não são um problema. Mas, diferente do tráfego pago, nesse método ocorre a compra e venda de links entre os domínios com o intuito de levar o usuário até o conteúdo principal. Um cuidado para indicar que o link é orgânico, é colocar o link externo como nofollow no WordPress.

Não coloque seu conteúdo em risco e saiba como não fazer Black Hat SEO

Além de SPAM e esquema de links, existem outras maneiras de praticar Black Hat SEO – mas de um jeito menos explícito. Esses são detalhes que às vezes você mesmo já fez e nem sabe. Dá só uma olhada.

Conteúdo raso

Costumam ser artigos recheados de palavras-chave, cujo material não faz muito sentido e não ajuda o usuário.

SEO negativo 

É uma estratégia que visa prejudicar o concorrente, criando denúncias ou links quebrados contra ele como forma de punição. Essas práticas custam tempo, são desleais e não geram engajamento para a sua página. Ou seja, é muito melhor investir em conteúdo competitivo (e mais interessante).

Esconder conteúdo

Geralmente, é usado na construção de páginas de domínios. Essa estratégia inclui as palavras-chave como forma de otimização, mas as esconde do usuário por meio do CSS. 

Cópia de conteúdo

O Google pode punir por plágio e essa prática é realmente criminosa, vista como violação dos direitos autorais, previsto no artigo 184 do Código Penal, com penas que vão desde o pagamento de multas a 4 anos de reclusão.

Conteúdo gerado automaticamente

Mas isso não quer dizer que a automação com o uso de IA é proibida; muito pelo contrário: a Inteligência Artificial pode ajudar a complementar os conteúdos e deixar o material ainda mais rico. O problema é quando o objetivo é fazer SPAM.  

Conteúdos repetitivos

Os conteúdos repetitivos geralmente ocorrem em pautas quentes e de atualizações. Por exemplo, as tendências de SEO 2023 não são as mesmas de 2022 e por aí vai. Para não poluir o blog com artigos anuais, o ideal é otimizar o que já está pronto com o que é novidade.

Diretrizes do Google Search Console são contra Black Hat SEO 

O Google Search Console é uma ferramenta gratuita para os criadores de conteúdo e serve para avaliar dados técnicos e demográficos do seu site, bem como a taxa de visitação orgânica e todo o desempenho do site, o que também ajuda na indexação do seu conteúdo.

O Search Console também é melhor forma de você entender como esse buscador funciona e ainda conta com uma página dedicada aos Fundamentos da Pesquisa Google, na qual mostra as regras do que é permitido e o que não é permitido. Listamos as 3 diretrizes mais importantes para você ficar ligado e que estão relacionadas ao Black Hat SEO

  • Criar conteúdo útil para o usuário: e não para os mecanismos de busca. Materiais ricos carregam tanto valor para o Google que o buscador recentemente lançou o Google Helpful Content Update como forma de auxiliar os criadores na produção de conteúdo útil;
  • Não engane o usuário: nada de conteúdos falsos e sem respaldo. Se possível, sempre indique as fontes de pesquisa;
  • Evite truques para melhorar a classificação no buscador: nada de SPAM e outras práticas de Black Hat SEO. 

SEO Black Hat, White Hat e Grey Hat: entenda as diferenças

As práticas saudáveis e permitidas também carregam um nome: White Hat SEO. Essas são técnicas inofensivas, que seguem todas as regras do Google, mas que demoram a alcançar resultados imediatos. No entanto, ao conquistar a primeira posição, dificilmente você sairá de lá. Sem contar que não há riscos e seu site ainda ganha mais confiança dos buscadores (e também dos usuários). 

E quando o produtor de conteúdo alterna entre os dois métodos, o nome disso é Gray Hat SEO. Aqui existem conteúdos limpos e até ricos, mas ainda com algumas jogadas para manipular e posicionar. Essa é a cor de SEO mais comum entre os criadores de conteúdo, mesmo que ainda bastante perigoso – o ideal é seguir as regras do jogo. Afinal, ainda há Black Hat. 

Se você percebeu que fez alguma das ações de Black Hat SEO, fique tranquilo. Inclusive, isso explica porque o seu site nunca fica bem posicionado – você pode estar sendo penalizado e nem sabe. 

Agora é hora de correr atrás do prejuízo. Basta revisar todo o seu conteúdo e verificar o que pode estar errado: links externos sem o nofollow, conteúdos desatualizados, plágio, entre outros. Em seguida, faça as correções e otimizações. Pode ser trabalhoso, mas vai valer a pena. 

5 dicas para criar conteúdo de White Hat SEO 

O SEO de forma natural e sem manipulação exige bastante trabalho do criador de conteúdo, mas a boa notícia é que ele não é muito difícil de se fazer. Além disso, respeitar o conjunto de regras dos buscadores também é algo simples. Confira 5 dicas básicas para boas práticas de SEO:

  1. Site limpo, rápido e fluído;
  2. Links orgânicos;
  3. Conteúdos ricos e originais;
  4. Materiais que ajudam o usuário;
  5. Otimização contínua de produções;

Opti é uma ferramenta imprescindível para a estratégia SEO

A otimização contínua de conteúdos é interessante, pois essa melhoria também é algo comum e que pode resultar em uma nova posição acima. Para isso, é fundamental ficar de olho na SERP. Mas não pense em perder tempo fazendo isso manualmente. 

Se você está em busca de uma ferramenta de análise de SERP, conheça a Opti: ela vai te mostrar um panorama de todos os seus conteúdos, incluindo aqueles que estão nas posições mais baixas – e é com eles que você pode começar a otimização e já alcançar bons resultados de maneira justa. A Opti também auxilia em melhorias de conteúdo, sendo ele Black Hat SEO, ou não.

A Opti é uma ferramenta completa que também oferece:

  • Histórico de ranqueamento de Keywords;
  • Suporte especializado multicanal;
  • Teste grátis e muito mais!

Esse artigo foi útil?

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Como você achou esse post útil...

Let us improve this post!

Lamentamos que este post não tenha sido útil pra você.

Conteúdos relacionados

Supere a concorrência
na SERP do Google

Receba dicas gratuitas de SEO
na sua caixa de entrada!

Como funciona plugin Opti