call-to-action-para-que-serve

Call to Action: Para que serve?

Call to action (CTA), também conhecida como “chamada para ação”, é uma ferramenta de marketing de conteúdo que pode trazer muitas conversões e cliques para seu negócio. Por isso é comum vermos em sites, e-mails e anúncios, e indica uma ação que o leitor deve fazer em seguida. 

Já se deu conta que todo dia encontramos “convites” para efetuar uma ação? É algo tão comum que mal nos damos conta como estamos cercados de sugestões para os nossos próximos passos. 

Ao entrar em um estabelecimento, há um aviso na porta que nos chama para empurrar ou puxar, e não só isso, como também em um hospital, quando vemos a placa notificando que precisamos fazer silêncio…

É intrínseco em nosso cérebro absorver cada uma dessas figuras de linguagem do nosso dia-a-dia como uma ordem imperativa, ou seja, você as executa sem nem ao menos se dar conta.

No universo do marketing digital, há o marketing de conteúdo, focado em produção de conteúdos de qualidade, aprimorado com intuito de geração e conversão de leads. Para isso, existem técnicas a serem seguidas, e o CTA está incluso nelas e pode ser considero até uma das mais importantes. 

Quer entender tudo sobre Call to Action? 

Continue conosco e fique por dentro dessa ferramenta tão importante do marketing digital. Boa leitura!

O que é Call to action? 

No meio digital, há várias ações que desejamos que sejam feitas para impulsionar nosso conteúdo, produto ou serviço, como fazer um cadastro para receber newsletters, preencher um formulário, fazer um download, pedir um orçamento, acessar um link de um artigo no blog.

O call to action é a forma de indicar ao leitor o próximo passo para essas ações, que o ajudam a se aprofundar no assunto abordado no momento.

Para o visitante, essa ação pode agregar conhecimento ou otimizar alguma tarefa. Já para a marca, essa ação significa uma conversão e a possibilidade de manter proximidade com o lead.

O call to action é importante para uma estratégia digital efetiva, e deixar esse recurso de lado pode significar perder potenciais clientes. E de fato, nós não queremos isso, não é?

Para que isso não aconteça, não basta impor uma “ordem”, ou “mandar” o leitor fazer o download de um e-book, por exemplo. É preciso pensar por trás da técnica, para não deixá-la fria e sem sentido.

Para que serve o Call to action? 

Como dissemos, o call to action traz ao leitor uma ação a ser cumprida, que pode o levar para um material rico, otimizador de tarefas, ou até uma compra. Ao mesmo tempo, agrega uma conversão importante para você, que oferece um recurso valioso ao usuário.

Vamos falar de uma forma prática: o call to action é crucial em uma estratégia de marketing de conteúdo, pois o lead só engaja quando já teve sua atenção e interesse capturados. Ou seja, é o passo mais importante para que ele se converta em cliente.

Por isso, errar sua call to action pode significar perder essas conquistas de interesse e atenção. 

Imagine que estamos cercados de informações abundantes todos os dias, em todos os lugares. Temos muita coisa para memorizar e, por isso, e se não tivermos gatilhos diários nos lembrar de algo, é muito provável que esqueçamos de boa parte do conteúdo que vimos em 24 horas.

Agora, pense naquele lead que assinou sua newsletter e vai receber no e-mail um lembrete de que encontrou em sua marca algo que o interessou. Ou uma pessoa que fez o download do seu e-book e o guardou na página inicial do celular ou desktop… 

Essa é uma das vantagens que o CTA também traz: a possibilidade de ser lembrado.

Gatilho mental do CTA

Por esses motivos, o CTA é considerado crucial em um dos pilares conceituais de marketing de conteúdo e publicidade: o AIDA. 

AIDA significa: Atenção; Interesse; Decisão e Ação. E cada uma dessas palavras representa uma etapa que todo consumidor enfrenta até uma conversão.

O call to action está ligado às duas primeiras etapas, como dissemos antes: atenção e interesse. Se os gatilhos forem bem-sucedidos em captar ambos, a última etapa acontece: ação de clicar em seu CTA.

Por falar em gatilho, o próprio mecanismo do CTA é baseado em técnicas de gatilho mental, pela forma de comunicação com o leitor: em tom de urgência, que mostre como aquela ação pode melhorar sua vida.

Recorra a gatilhos de curiosidade para induzir o seu prospect! Por exemplo, uma das chaves mais usadas em um call to action efetivo é a curiosidade. Em outras palavras, lançar questões que serão sanados com sua oferta, mostra a necessidade de efetuar a ação

Veja mais sobre o texto adaptado para call to action abaixo:

Como usar Call to action 

Algumas formas de executar o call to action já estão ultrapassadas, como as conhecidas “fale conosco” ou “clique aqui” soltas no texto. Elas são desconexas, visto que não despertam carga de interesse suficiente que faça o usuário querer executar a ação. 

Ou seja, o usuário precisa entender a ação que irá efetuar, e se identificar com ela. Por isso, existem técnicas para formular a estratégia ideal de call to action:

Formulando um bom call to action

É preciso pensar em formatos além dos exemplos que demos, que não possuem potencial para conversarem com o usuário, assim como com o texto.

O call to action não pode aparecer sozinho, sem contexto. Sendo assim, Ele deve ter uma referência direta e amistosa ao que vai acontecer logo após o clique, seja uma oferta, acesso a outro artigo do domínio, ou download de material. 

Ou seja, o CTA deve dizer em poucas palavras o que acontecerá a seguir da ação, e o benefício que trará ao usuário.

Seu lead irá entender a urgência de obter uma resposta rápida, e que você a oferecerá com praticidade. 

Por exemplo, pode-se falar sobre um site de material de estudos para o ENEM: “Quer saber como gabaritar a redação do ENEM? Faça download do ebook gratuito com técnicas secretas para aplicar em sua redação”

Não se esqueça que esse texto deve conversar com o restante do artigo ou anúncio, ofertando algo que encaixe com a necessidade de quem está consumindo o conteúdo.

Outra dica importante é praticar a criatividade para gerar CTAs originais. Como dissemos, o Call to Action é uma técnica da estratégia de marketing de conteúdo, e um de seus pilares é ser original.

Inspire-se em seus concorrentes, e faça pesquisas de referências para te ajudar nessa tarefa!

call-to-action-para-que-serve

Como escolher o Call to action correto?

No marketing de conteúdo, a produção dos conteúdos é otimizada para sua persona, dessa forma, o CTA também deve ser. Fazer um “copia e cola” e seguir apenas uma fórmula para os Call to Actions pode destoar do tom que você usou no restante do seu conteúdo. Então, aqui vão algumas dicas de como escolher o Call to Action perfeito para seu site!

Saiba qual é sua persona

Ao saber para qual persona seu blog está destinado, será mais fácil direcionar suas CTAs. 

Digamos que você tem um blog sobre culinária prática – é provável que sua persona precise de agilidade e simplicidade na cozinha. Portanto, um material contendo “receitas de 15 minutos” se encaixa na sua persona.

Saiba o nível de conhecimento da persona 

Se seu site ou blog atende mais de um nível de conhecimento (pouco ou médio), fazer mais de uma postagem sobre um assunto, porém adaptado para cada nível, é uma ótima maneira de engajar seus leitores. 

Não se esqueça que ao fazer isso, o call to action e a oferta do benefício deve ser diferente para cada um.

Seguindo o exemplo que demos no tópico acima, caso a persona do seu blog seja iniciante na culinária, um ebook sobre 5 temperos essenciais na cozinha seria perfeito, e um “Aprenda como congelar seus pratos para a semana” teria um match maior com um nível de conhecimento médio.

Por isso, é importante entender o que ela quer e procura ao visitar o seu site. 

Considere o estágio no funil de vendas

Saber em qual estágio do funil sua persona se encontra também te ajuda a direcionar a estratégia. Uma pessoa no topo do funil não vai se interessar em fazer um orçamento, por exemplo. 

Cada postagem pode ter seu foco estratégico. Assim, você pode fazer mais de um post sobre o mesmo assunto, com diferentes CTAs e voltados para etapas diferentes do funil.

Escolha o objetivo do CTA

Call to action por si só já disse tudo, é uma chamada para ação, mas qual ação?

No meio online, não faz sentido fazer uma estratégia digital que incentive uma resposta offline, concorda? Dessa forma, as ações são feitas no próprio blog.

Veja abaixo algumas opções de objetivos para seu CTA

Landing page

Landing page é toda página do seu site que leva para uma conversão, ou seja, o último degrau que o visitante enfrenta antes de se tornar lead (ou cliente!) 

Também chamadas de “páginas de aterrissagem”, as landing pages possuem menos conteúdo que a página do blog ou site em si. Em geral, apresentam detalhes diretos sobre o conteúdo e alguma ferramenta de conversão: formulário, material rico… 

Download de material rico 

Download de material rico é direcionado para personas do meio ao fundo de funil, que já possuem certo conhecimento na área, mas não tão profundo assim. 

Essa é sua chance de mostrar algum conteúdo exclusivo criado para o site, ou podcast, infográficos, planilhas… Qualquer conteúdo que o ajude a expandir o conhecimento sobre o assunto abordado.

Direcionar para outro artigo 

Essa CTA é muito importante, pois além de se tratar de um clique que gera conversão, também se trata de uma importante estratégia SEO, chamada de backlinks.

Nela, um usuário transita de um blog ou artigo para outro, e essa ação mostra aos buscadores que aquele conteúdo tem autoridade, portanto, poderá aparecer em posições de destaque na serp.

Inscrição de News letter

Newsletter é o disparo de boletins informativos sobre um certo assunto que seja relevante para o visitante. 

Ao assinar sua newsletter, o usuário passa do topo do funil para o meio, o que significa que possui interesse claro em sua marca e quer saber mais sobre ela. 

Esse recurso é mais utilizado no final dos artigos, com a CTA de que o visitante precisa saber mais sobre aquele assunto e você pode ajudá-lo com sua newsletter.

Compartilhamentos, curtidas e comentários nas redes sociais 

As call to action também são importantes nas redes sociais. Um simples pedido de compartilhamento e curtida é uma CTA de valor, e pode ser o pontapé para que seu conteúdo alcance mais pessoas.

Sugerir, no seu próprio artigo, que a pessoa visite sua rede social também é uma CTA de valor. Parece uma tarefa simples, mas o clique garante autoridade no seu site e pode fazer diferença no seu tráfego.

Dicas para fazer suas Call to actions serem efetivas 

Como falamos, o uso das CTAs exige pensamento estratégico. Caso contrário, as chances de passar despercebido ou até causar uma má impressão podem ser altas.

O recurso precisa conversar com o leitor, para não ser genérico demais, e seguir ordens de gatilho mentais para fazer com que se torne irresistível ceder à “sugestão” da CTA.

Veja algumas técnicas fundamentais para uma CTA de valor:

Use cores contrastantes 

Composição de cores da página e a cor do call to action precisam conversar entre si de uma forma chamativa. Por exemplo, um banner verde chama atenção em um fundo branco, mas um banner azul-escuro em um fundo preto, nem tanto.

Faça uma análise de sua paleta de cores e veja qual é a mais contrastante para você.

Dica extra: No círculo cromático, a cor mais contrastante é sempre a que está oposta a ela.

Escolha um formato 

Quando falamos de formato aqui, queremos dizer sobre a forma que você vai apresentar seu CTA ao leitor no decorrer da sua página. 

Pode ser com imagens ao longo do texto, sidebars (barras laterais), e frases contidas no próprio artigo que contenham uma call to action. 

Cada uma possui um propósito diferente, por isso, atente-se para saber qual delas se encaixa melhor com cada call to action da sua estratégia.

Use verbos no imperativo 

Verbos no imperativo demonstram urgência. Ele é, de certa forma, uma ordem, afinal, seu uso desperta no leitor essa sensação de necessidade, e por isso esse recurso é considerado um gatilho mental para influenciar uma ação.

No entanto, para não haver essa sensação de “poder” sobre o cliente, a frase contendo o verbo no imperativo precisa ser amigável e receptiva. Afinal, mesmo que sua definição gramatical seja “verbos de comando”, ninguém gosta de receber ordens, não é? 

Seja direto 

Não se estenda muito no seu call to action. Ele precisa ser sucinto e direto, sem dar margem para levantar dúvidas sobre o benefício que trará ao lead. 

Quanto mais tempo o visitante levar lendo aquela CTA, mais tempo ele terá para se perguntar se a ação vale a pena. Tal qual diz o ditado: Menos é mais!

Como saber se o CTA deu resultados? A OPTI te ajuda!

A OPTI é uma plataforma de marketing digital que monitora em tempo real seu ranqueamento na SERP do Google, acompanha o desempenho de suas palavras-chave, e analisa as métricas de SEO e legibilidade de seu conteúdo. 

Com a OPTI você vai conseguir fazer seu site subir para o topo das pesquisas, e analisar a taxa de conversão que suas CTAs trouxeram.  

Você pode ter controle de suas métricas, direcionar e modificar sua estratégia de acordo com o desempenho.

Não perca os 7 dias de teste gratuito, acesse e monte um plano personalizado para seu negócio!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.